Inicio / Além da escola Além da escola 3 de novembro de 2020

8 estratégias essenciais para desenvolver o hábito da leitura

Redação Estudo em Dia
Redação Estudo em Dia

Equipe apaixonada por educação, produzindo conteúdos focados em alunos que buscam uma melhor rotina de estudos e preparação para o vestibular!Publicado em . | Atualizado em 4 de janeiro de 2021.


Quando falamos sobre o hábito da leitura com muitos jovens ou adultos, percebemos que a maioria deseja aumentar o número de livros que leem por ano. No entanto, muitos se questionam: “como melhorar essa prática? Como ler mais livros se meu tempo é tão curto?”. É para isso que trouxemos este conteúdo.

Primeiramente, vamos aos dados. Uma pesquisa publicada pela Folha em 2019 concluiu que entre 2011 e 2015 a estimativa média de livros por habitantes aumentou de 4 para 4,96. Esse é um número positivo, no entanto, precisamos ficar atentos aos pequenos detalhes para concluir que estamos diante de quantidade e não de qualidade.

Dessa média anual, apenas 2,43 livros foram lidos do início ao fim. Além do mais, quando falamos em obras literárias, o número despenca para 1,26 livro, incluindo aqueles que não foram completamente lidos. De acordo com a mesma pesquisa, a Bíblia é a obra mais lida no Brasil, ficando à frente de outras obras religiosas, contos e romances.

Toda essa análise nos auxilia a pensar no contexto sociocultural brasileiro. O hábito da leitura é uma busca de muitas pessoas, mas é importante ter qualidade. Dessa forma, uma boa orientação faz-se necessária. Por isso, continue a leitura e aprenda, de vez, estratégias essenciais para desenvolver o hábito da leitura!

1. Qual a importância de desenvolver o hábito da leitura?

Muitas pessoas reconhecem que a leitura é muito importante, mas quando perguntamos o porquê, não sabem exatamente como explicar. Então, vamos compreender melhor a dimensão que a boa prática de leitura tem em nossa vida e que, inclusive, ajuda qualquer aluno a se dar bem no ENEM! Veja!

1.1 Auxilia na escrita

Esta é uma das vantagens que a maioria das pessoas conhece: a leitura melhora nossa capacidade de escrita. Isso porque ao ler estamos ampliando o nosso vocabulário e trabalhando nossa capacidade de associar e organizar ideias, isto é, dois aspectos fundamentais para um bom texto. 

Nesse sentido, é muito importante que o leitor, aos poucos, vá inserindo livros cada vez mais complexos em sua leitura diária. Por exemplo, após ter o hábito consolidado e passar por experiências literárias diferentes, procure separar 10 minutos de seu dia para ler um artigo de jornal ou um artigo de opinião. Assim, você terá contato com uma nova escrita e, ao mesmo tempo, se atualizará diante das novas perspectivas culturais e sociais.

1.2 Traz novas experiências

A escritora mineira Conceição Evaristo afirma que “a literatura nos prepara para o mundo e, além disso, a ficção apresenta, às vezes, saídas que a realidade não nos permite”. Você já pensou nisso? Na vida adquirimos experiências a partir de nossas ações, nossos feitos, nossos acertos e erros. 

No entanto, assim como Evaristo afirma, a leitura pode nos preparar para o mundo, pois a partir dela conhecemos novas realidades, novos erros, acertos e locais que nunca pensamos em conhecer. 

Por exemplo, você já pensou em viajar pelo Japão? Podemos visitá-lo a partir da leitura das obras do japonês Haruki Murakami, seus livros são traduzidos mundialmente, inclusive, muitos deles, em português. Assim, conheceremos aspectos particulares, culturais e sociais do Japão sem sair de casa.

1.3 Potencializa sua capacidade de raciocínio

Muitas pessoas, no momento de escrever um texto, afirmam “até que eu tenho ideias, mas não consigo colocá-las no papel”. Esse é um problema muito comum, afinal escrever é um exercício de organização mental, pois quando escrevemos, escrevemos para sermos lidos, logo, quem lê o nosso texto tem que compreender a produção.

Quando temos o hábito de ler livros, por consequência, estamos aprendendo várias estruturas textuais. Por exemplo, um romance, com enredo, desenvolvimento dos personagens, clímax e desfecho; um artigo de opinião, com introdução, desenvolvimento e conclusão. Além disso vemos também quais textos são comuns estarem em primeira pessoa e quais são em terceira pessoa. 

É a partir dessa experiência literária que vamos potencializando nossa capacidade de raciocínio e melhorando a organização de nossas produções textuais, inclusive, de nossa oratória, pois é a capacidade de ler boas histórias que nos torna grandes contadores de narrativas.

1.4 Estimula a criatividade

A criatividade é uma das grandes favorecidas quando o hábito da leitura é transformado para melhor. Com a leitura temos contato com novas experiências, com novas situações e com novas formas artísticas. 

Sendo assim, a partir de um livro, muitas ideias podem surgir em nossa mente. Tornamo-nos mais criativos para exercer trabalhos escolares, para responder a questões dissertativas, para produzir redações ou para fazer poemas, romances, pintar quadros, montar campanhas publicitárias, entre outros.

1.5 Auxilia na saúde mental

A leitura também pode ser um processo terapêutico. Muitos alunos, com frequência, reclamam que sentem uma pressão muito grande nos estudos, dizem que ficam ansiosos ao lembrarem que sempre estão com um trabalho em atraso e que não conseguem se concentrar durante 1 hora em um mesmo conteúdo. 

A leitura pode auxiliar muito nesse aspecto. Quando lemos um livro que gostamos, pode ser uma obra de ficção científica, um romance, uma novela gráfica; imergimos em um mundo novo, nos concentramos em um universo ficcional que admiramos e, por consequência, controlamos o nosso estresse.

Há, inclusive, um nome para essa forma de tratamento: a bibliotecoterapia, isto é, o emprego de livros para o tratamento de problemas emocionais. Além disso, a bibliotecoterapia também tem uma função preventiva, pois possibilita o desenvolvimento pessoal de diferentes faixas etárias.

2. Como o hábito da leitura auxilia no vestibular?

Muitos alunos querem saber como estudar para o ENEM, todavia, poucos compreendem que o hábito da leitura pode ser um grande aliado no momento do vestibular, tanto para a interpretação de texto, quanto para a área de redação.

Quanto mais leitura temos, maior a nossa capacidade de elencar informações com o seu tempo histórico, de construir críticas e de estabelecer relações intertextuais. Para as disciplinas que envolvem linguagens, códigos e suas tecnologias e ciências humanas e suas tecnologias, esse tipo de análise é fundamental para responder corretamente às questões de múltipla escolha.

Além disso, a boa capacidade de interpretação, com certeza, tem os seus efeitos positivos na área de ciências da natureza, matemática e suas tecnologias. Afinal, muitas questões matemáticas, por exemplo, sempre estão embasadas em um contexto/situação hipotética que precisa de interpretação e, por consequência, de um bom raciocínio.

Outro fator importante a ser mencionado é que grande parte dos alunos que participam do ENEM tem como grande empecilho a prova de redação. Alguns afirmam que é extremamente difícil conseguir alcançar o que todas as competências pedem. Porém, para ter boas notas é importante estudar todas as competências e, ao final da escrita, analisar se você cumpriu com todos os objetivos. 

A competência III pede que o candidato saiba “selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista”. Você sabe o que essa competência quer? O objetivo é analisar se o participante tem repertório sociocultural e se ele sabe relacioná-lo com a argumentação do texto. 

Por essa razão, é preciso reconhecer que a leitura fortalece o seu repertório cultural e facilita a relação de ideias, de forma que elas sejam contextualizadas e importantes para comprovar o seu ponto de vista. Com boas leituras, você estudará melhor e terá sucesso nas provas.

3. Como criar um hábito da leitura?

Construir um hábito pode ser difícil para a maioria das pessoas, isso porque nós temos que desenvolver força de vontade e acostumar nosso cérebro com uma nova situação. 

Em nossa vida construímos hábitos bons e ruins. Por exemplo, é mais fácil criar o hábito de sentar no sofá para assistir a um filme no fim da tarde do que ter disposição para ir à academia, certo? A prática de exercícios depois de um dia de estudos exige comprometimento consigo mesmo. 

Charles Duhigg (2012), em sua obra O poder do hábito, traz informações importantes sobre o assunto. Ele afirma que “quando um hábito surge, o cérebro para de participar totalmente das tomadas de decisões. Ele para de fazer tanto esforço, ou desvia o foco para outras tarefas”. Ou seja, essa característica cerebral pode auxiliar tanto no momento de adquirir hábitos bons quanto ruins. 

Quando nos acostumamos, consolidamos o hábito da leitura. Para nosso cérebro, com o passar do tempo, essa se tornará uma prática habitual e deixará de ser o esforço que foi no início. Porém, ainda ficamos com a questão: como criar o hábito da leitura? Veja nossas dicas abaixo!

3.1 Identifique sua rotina

Em primeiro lugar, é preciso que você conheça a sua rotina e descubra aquilo que te impede de trazer a leitura para o seu cotidiano. Durante uma semana, faça um mapeamento dos seus hábitos, desde aqueles como sentar no sofá para um descanso até os que envolvem o estudo árduo.

Se possível, mapeie também a sua alimentação. São as pequenas coisas que podem interferir na nossa rotina diária e nos deixar mais pesados do que satisfeitos. Depois que o mapeamento ficou pronto, identifique o que você quer mudar e quando a leitura pode se encaixar na sua rotina. 

3.2 Dê a si mesmo algumas recompensas

O seu cérebro precisa compreender que você está bem com a nova rotina, ele precisa ver que, por exemplo, concluir a leitura de um livro é muito satisfatório. Então, você pode aproveitar para descansar após a leitura, pode comprar para si mesmo algo especial e simples, pode fazer uma postagem nas redes sociais falando sobre sua leitura, entre outras possibilidades. 

O importante é que seu cérebro perceba que a leitura pode trazer algo bom para si. E, além disso, você terá a sua consciência tranquila, afinal saberá que adquiriu novas habilidades para participar de processos seletivos como o ENEM e outros vestibulares.

3.3 Comece lendo textos mais curtos

Em vez de iniciar por textos mais longos, como um romance de Guimarães Rosa que você jurava que leria até o final do terceiro ano, comece por textos mais curtos e rápidos. É importante lembrar-se que a profundidade do texto não está necessariamente ligada ao seu tamanho, mas sim a como, quando, por quem e de que forma ele foi produzido.

Sendo assim, se você gosta de histórias em quadrinhos, opte pelas novelas gráficas, o mercado editorial tem investido muito nessa vertente e trazido obras fantásticas para os admiradores desse gênero. Além do mais, como essas obras trazem os desenhos que nos ajudam a interpretar, você pode, inclusive, experimentar ler em outros idiomas, como o inglês

Outra opção são os livros de contos. No Brasil temos grandes escritores contistas, como Carlos Drummond de Andrade, Clarice Lispector, Machado de Assis, Rubem Fonseca, Cora Coralina, entre outros. Assim, você poderá iniciar grandes leituras por meio de textos pequenos e, aos poucos, inserir leituras cada vez maiores e, talvez, mais densas em sua rotina.

3.4 Faça um cronograma

O cronograma nos últimos tempos ganhou uma importância enorme na vida das pessoas, principalmente para aquelas que estão estudando em casa. Atualmente, fazemos muitas coisas em apenas 1 hora: conversamos com amigos, enviamos e-mails, fazemos a tarefa de casa e cuidamos da organização de algum trabalho escolar. 

Devido à grande quantidade de informação, é possível que fiquemos perdidos em meio a tantos compromissos. Sendo assim, o cronograma pode nos ajudar muito a manter uma rotina mais saudável e centrada, pois é por meio dele que evitamos aquela famosa sensação “fiz tantas coisas durante o dia e parece que não aprendi nada”.

Determine o horário e quantas páginas você lerá por dia. Se o livro estiver muito bom, você pode ler mais do que o estipulado, mas nunca leia menos. Assim, você saberá em quanto tempo lerá uma obra e criará um compromisso consigo mesmo.

3.5 Assuma a sua identidade de leitor

É muito diferente quando você afirma “quero ser um leitor” de “eu sou um leitor”, correto? Trazer novas afirmações para a nossa rotina é fundamental para que compreendamos que algo em nosso cotidiano mudou e que um novo hábito já faz parte de nossa vida.

“Querer” e “ser” são verbos muito fortes e que fazem a diferença em nossa identidade. Além do mais, todas as vezes que você se sentar para ler um livro, notará que a sua identidade de leitor estará sendo trabalhada e reforçada. Essa situação trará um grande orgulho de si mesmo.

4. Como definir um horário do dia para leitura?

Definir o horário da leitura é um problema para algumas pessoas, no entanto, você se lembra do mapeamento que indicamos no item 3.1? Ele será fundamental para que você defina um horário satisfatório para a leitura. Dentro de sua rotina, escolha um horário em que você: 

  • tenha acesso a um local tranquilo, livre de tumultos ou de interrupções;
  • tenha acesso a livros atraentes e que tornem a sua leitura satisfatória;
  • envolva-se com a sua identidade de leitor. 

Por exemplo, se você vai para o seu quarto em um certo horário da noite, é possível que, em vez de ir direto para outros afazeres, como videogame, celular ou seriados, você inicialmente dedique 5 minutos daquele momento para a sua leitura. 

Antes de abrir o livro, tente se tranquilizar, respirar calmamente, deixar os problemas do lado de fora do seu quarto e se comprometer com aquele momento, aproveitando-o da melhor forma possível, mesmo que sejam poucos minutos. 

Nas semanas seguintes, você pode aumentar o tempo de leitura, de 5 minutos para 8, 10, 15. Assim, fase por fase, você cultivará um hábito com grandes benefícios.

5. Quais são os erros que prejudicam a criação desse hábito?

Há alguns erros ou enganos que prejudicam a criação do hábito da leitura. É importante estar atento a eles para evitá-los. Veja quais são: 

5.1 Começar pelo final

Muitas pessoas já querem iniciar pelo final, ou seja, ao procurarem um livro vão direito até obras como Dom Casmurro de Machado de Assis ou São Bernardo de Graciliano Ramos. Certamente, essas são obras maravilhosas, no entanto, para quem está iniciando o novo hábito, elas podem ser um tanto quanto desafiadoras. 

5.2 Achar que é tarde demais

Muitas pessoas, no momento de adquirir um novo hábito, desacreditam de si mesmas, acreditam que, seja pela idade, pelo tempo ou pela falta de concentração, não conseguem mais ler um bom livro. 

Ao sentir que esses sentimentos estão vindo até sua cabeça, você deve deixá-los passar. Eles refletem o medo de falhar se manifestando, no entanto, com um bom comprometimento e com as dicas listadas acima, você conseguirá.

5.3 Cobrar-se demais

A leitura deve ser satisfatória: você estará exercitando o seu cérebro, sua atenção, sua imaginação e criatividade. Então, não torne esse momento mais uma exigência pesada em sua rotina. Escolha livros que são prazerosos e cheios de aventura, se esse for o seu gênero predileto.

6. Como escolher livros para criar o hábito de leitura?

Olhe ao seu redor, com certeza você terá várias ferramentas para auxiliar na escolha de bons livros para leitura. Confira! 

6.1 A internet e seus conteúdos

Na internet encontramos várias ferramentas que trazem grandes perspectivas sobre obras literárias, tanto as publicadas atualmente quanto aquelas que foram publicadas há séculos.

Você pode procurar por canais no Youtube que fazem comentários e avaliações sobre obras, muitos podcasts atualmente são sobre livros ou, dependendo da temática e do direcionamento, trazem boas indicações para os leitores, e muitas resenhas são publicadas diariamente em vários sites.

Portanto, o seu primeiro passo será fazer uma pesquisa de obras que estão de acordo com o seu perfil e buscá-las na internet ou na biblioteca pública mais próxima de sua casa ou de sua escola. 

6.2 O professor de literatura

O seu professor de literatura tem muito a contribuir, afinal ele tem experiência na leitura de obras que podem ser ótimas para um leitor iniciante até aquelas que são classificadas como mais complexas.

Sendo assim, converse com ele, exponha suas intenções e peça uma boa indicação para que você comece a criar esse hábito. Com certeza, chegarão até você boas indicações e, inclusive, livros que são adequados para a sua faixa de escolaridade.

7. Como comprar livros mais baratos?

Para comprar livros mais baratos, você terá que fazer uma longa e prazerosa pesquisa em sebos virtuais ou físicos. Há sites que vendem livros usados e que estão em ótimo estado para leitura, basta pesquisar. Algumas cidades têm os chamados “sebos literários”, onde livros usados são vendidos a preços bem em conta. Essas são duas opções bem acessíveis. 

Além disso, há pessoas que sempre buscam movimentar a sua biblioteca e realizam, por meio do perfil nas redes sociais, trocas de livros ou mesmo a venda de obras por um preço mais acessível. Assim, além de consciente, você estará praticando a leitura sustentável.

Outra boa opção é a participação em rodas de leitura. Muitas escolas oferecem uma programação extraclasse focada na leitura de obras não obrigatórias. E, nesse contexto, fazem o rodízio de obras. Assim, você lerá muitos livros e contribuirá para a formação de outros leitores.

8. Quais ferramentas podem ajudar na criação do hábito de leitura?

Além de podermos nos tornar grandes leitores, existem algumas ferramentas que potencializam esse hábito, tornando os livros mais acessíveis. Veja quais!

8.1 Domínio público

O Google ou outras ferramentas de pesquisa auxiliam muito na busca de obras que já são de domínio público. Autores que já são consagrados na literatura mundial podem ser encontrados nesses sites e acessados por qualquer pessoa que deseje lê-los. Faça uma busca e veja as milhares de opções que encontrará.

8.2 Livros digitais

Os livros digitais se tornaram muito comuns. Apesar de a leitura por meio do livro físico ser muito prazerosa, há algumas pessoas que não podem comprá-los com tanta frequência ou não têm espaço em casa para mantê-los guardados, por isso, optam pela leitura digital.

Você pode fazer isso no celular ou mesmo no computador. O importante é realizar de uma forma que fique agradável e não prejudique a sua visão. Por isso, lembre-se de, no momento da leitura, manter seus aparelhos no modo noturno.

8.3 Cronogramas 

Os cronogramas são fundamentais não só para que você tenha o controle sobre o seu horário de leitura e métodos de estudo, como também para que você avalie o quanto cresceu nos últimos meses.

Portanto, além de anotar seus horários e metas, anote em seu cronograma suas conquistas, afinal são elas que trarão para você, jovem leitor, o estímulo necessário para continuar a conduzir-se por meio de boas obras literárias.

Notou como os livros são fundamentais para nossa formação? Para Paulo Freire, em Pedagogia da autonomia, “ninguém educa ninguém, ninguém se educa a si mesmo, os homens se educam entre si, mediatizados pelo mundo”.

As obras ficcionais ou não-ficcionais têm essa função em nossa vida. É por meio do hábito da leitura que carregamos saberes de outros autores e compartilhamos esses novos saberes com o mundo.

Gostou de nosso conteúdo? Então, compartilhe esse post nas suas redes sociais e inspire seus amigos a trazerem esse novo hábito para a jornada diária!

Call To Action

Detalhe do Call To Action para Download do Material

Deixe uma resposta

Copy link
Powered by Social Snap

Seu futuro começa aqui

Cadastre-se já e não perca nenhuma dica!