Inicio / ENEM & Vestibular ENEM & Vestibular 11 de janeiro de 2021

Como elaborar uma proposta de intervenção na Redação do Enem?

Pedro Paulo Alves
Pedro Paulo Alves

Professor de Redação, formado pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), com experiência no ensino de Redação e na elaboração de materiais didáticos voltados para o Enem e demais vestibulares. Curioso, é apaixonado por educação, música, cinema e viagens.Publicado em . | Atualizado em 11 de janeiro de 2021.


No universo das provas de vestibular, é comum que a dissertação argumentativa seja o principal formato de texto escolhido e cobrado pelas bancas, uma vez que é por meio dela que o participante é capaz de demonstrar seu senso crítico e sua habilidade argumentativa diante das problemáticas propostas.

            Assim como em tantos vestibulares brasileiros, o ENEM também exige que o candidato produza uma dissertação argumentativa para tratar de determinado problema social grave proposto pelo tema. No entanto, difere-se de outras avaliações porque exige que os participantes elaborem uma Proposta de Intervenção na redação. É por meio dela que a banca avalia e analisa a capacidade do estudante de agir sobre e em nossa realidade.

            Motivo de grande preocupação pela maioria dos vestibulandos, a Proposta de Intervenção é um aspecto fundamental para o sucesso da Redação do ENEM e faz parte dos critérios de correção da banca, ou seja, não é opcional, é preciso estar presente no texto. É na Competência 5 que a intervenção é cuidadosamente avaliada. Este critério, por sua vez, se encarrega de olhar não somente os aspectos estruturais e os elementos básicos da intervenção, mas também se o candidato a produziu de modo a respeitar os direitos humanos.

            Em termos estruturais, os participantes devem produzir uma proposta de intervenção que respeite os direitos humanos e apresente 5 elementos básicos:

1- AÇÃO: é a atitude prática para a solução do problema apresentado.

2- AGENTE: é o ator social capaz de executar a solução proposta.

3- MEIO/MODO: é o mecanismo pelo qual a ação é realizada.

4- DETALHAMENTO: é o acréscimo de informações a um dos outros elementos, a fim de tornar a intervenção proposta mais concreta.

5- FINALIDADE: é o resultado pretendido ou alcançado pela ação apresentada.

A produção da intervenção requer alguns cuidados para que se possa atender corretamente às exigências da banca e formular uma proposta completa. Nesse sentido, algumas perguntas de suporte podem ajudar na hora de elaborar sua intervenção:

  • AÇÃO: O que pode ser feito?
  • AGENTE: Quem pode fazer isso?
  • MEIO/MODO: Como isso pode ser feito?
  • DETALHAMENTO: Qual outra informação pode-se acrescentar?
  • FINALIDADE: Para que isso deve ser feito?

O uso de perguntas norteadoras pode ser bastante útil para verificar se a proposta de intervenção está, verdadeiramente, seguindo a estrutura exigida pela banca.

Para além da preocupação com a estruturação básica, é preciso estar atento a outras “pegadinhas” que podem prejudicar a produção da intervenção. No processo de estudo e preparação para o vestibular, muitos são os mitos espalhados por aí sobre a proposta de intervenção. Para que se tenha sucesso verdadeiro na elaboração da proposta, é preciso desconstruir alguns desses mitos:

1. Não há um limite exigido de proposta de intervenção na redação.

A banca avaliará sempre a proposta mais detalhada, ou seja, aquela que conta com todos os 5 elementos básicos bem definidos e apresentados.

2. Produzir a proposta no parágrafo de conclusão não é uma obrigatoriedade.

Apesar de ser um movimento lógico na produção do texto, a banca não determina que a intervenção seja produzida no último parágrafo do texto. Desde que contando com todos os elementos básicos, a proposta pode ser apresentada em qualquer parte do texto.

3. Apresentar uma lista de propostas NÃO ajuda na produção de uma boa intervenção.

A boa proposta de intervenção é aquela que conta com todos os 5 elementos básicos de sua estrutura apresentados de forma clara e completa.

4. Apresentar trechos de leis ou citações não garante sucesso na proposta de intervenção.

Ao contrário do que se pensa, em alguns casos, é preciso tomar cuidado com o uso de trechos de leis ou citações. Quando não servirem de apoio à intervenção e configurarem-se apenas como constatações de fatos, podem prejudicar a nota do participante na Competência 5.

Distanciando-se dos mitos enganosos, apresentando os 5 elementos básicos da intervenção e respeitando os direitos humanos, a chance de conquistar os 200 pontos na Competência 5 e, consequentemente, na Redação como um todo é bastante grande.

Compartilhe as dicas com seus amigos também!

Call To Action

Detalhe do Call To Action para Download do Material

Deixe uma resposta

Copy link
Powered by Social Snap

Seu futuro começa aqui

Cadastre-se já e não perca nenhuma dica!