Inicio / ENEM & Vestibular ENEM & Vestibular 10 de março de 2021

Como escolher a universidade certa para estudar? Confira nossas dicas

Redação Estudo em Dia
Redação Estudo em Dia

Equipe apaixonada por educação, produzindo conteúdos focados em alunos que buscam uma melhor rotina de estudos e preparação para o vestibular!Publicado em . | Atualizado em 9 de março de 2021.


A gente sabe que o processo para definir o curso superior que você vai fazer foi uma tarefa difícil. Sim! São muitos testes vocacionais, muitas pesquisas lidas e muitas, mas muitas, indecisões. O que é justo, afinal, é a profissão que você escolheu trilhar. Mas é claro que a missão para iniciar os estudos acadêmicos não param por aí: como escolher a universidade certa?

Bater o martelo sobre qual instituição escolher também demanda muito trabalho da parte do estudante, já que é necessário pesquisar sobre as faculdades, conversar com muitas pessoas e visitar diversos lugares novos. Uma espécie de desbravamento!

Contudo, é claro que essa aventura não é solitária, além de você contar com o apoio de seus familiares e amigos, pode contar conosco! Nos próximos tópicos, você acessa uma lista de dicas, quase como um mapa para encontrar a faculdade ideal. 

Vamos começar? Siga a leitura e descubra como escolher a universidade certa e entrar na vida acadêmica do melhor jeito de todos: com certeza do sucesso!

Conheça as modalidades de ensino

Começamos explorando as possibilidades de formatos de curso e categorias de faculdades, ok? A primeira parte, portanto, é reconhecer que nem todas as instituições de ensino são iguais. Cada categoria conta com direcionamentos bastantes específicos e demandam do universitário muitas coisas diferentes. 

Siga os próximos títulos para entender quais são as modalidades de ensino e quais são os desafios vinculados a cada uma delas, para, então, concluir qual é a configuração de estudo que se encaixa mais com os seus desejos e possibilidades do momento!

Presencial

Essa categoria você já deve conhecer, é a mais clássica de todas. Nesse método, a presença física do aluno se torna indispensável, assim como a do professor, ou seja, as duas figuras devem estar em sala de aula para que o conhecimento se inicie.

O nosso conselho é que você não observe o “clássico” como sinônimo de sem novidades: cada vez mais a equipe de educadores se transforma e impacta a modalidade presencial. As atividades tendem a ser cada vez mais dinâmicas e interativas com os estudantes, justamente para envolver de maneira mais efetiva os alunos.

Um dos principais desafios da faculdade presencial é a dedicação e organização na rotina do universitário, já que a presença nas aulas de, no mínimo, 70% é obrigatória. Os trabalhos e provas também costumam ser presenciais.

Além disso, essa estrutura de ensino exige muito mais interação com os espaços físicos do campus (laboratórios, salas de aula, banheiros), o que impacta diretamente no valor da mensalidade. Sem contar no deslocamento do aluno até o ambiente de ensino que também provoca gastos.

À distância (EAD)

Essa modalidade de estudo tem sido muito utilizada no cenário pandêmico, justamente pela necessidade de isolamento social. Já dá para observar, portanto, que o ensino EAD se encaixa muito bem para aqueles alunos que não tem total disponibilidade para se deslocar até o campus ou não pode firmar um compromisso em horários fixos diários.

Nessa configuração, os professores gravam as aulas e disponibilizam esses conteúdos em uma plataforma online (específica da instituição). Geralmente, as aulas e os outros materiais que compõem a rotina do estudante podem ser acessados a qualquer momento e em qualquer aparelho com conexão (tablet, celular, computador ou notebook).

Não há grande frequência de encontros presenciais. Na maioria das vezes, os alunos devem se deslocar ao campus uma ou duas vezes por semestre e isso também impacta o valor das mensalidades, que tendem a ser muito mais baixas que o ensino presencial.

É claro que nem tudo são flores, há desafios bastante concretos na modalidade EAD. A flexibilidade de acessar as aulas quando for mais confortável demanda muito comprometimento, disciplina e organização do aluno. 

Semipresencial

Essa categoria de ensino é a combinação entre as duas outras modalidades anteriores. Nesse caso, o aluno conta com as aulas presenciais e dispõe de conteúdos para estudar online e remotamente.

Dessa maneira, o aluno não precisa se deslocar para o campus diariamente (os encontros acontecem, geralmente, uma ou duas vezes por semana). Portanto, considerando a carga horária universitária obrigatória, o resto das aulas devem ser 20% no formato remoto. 

Assim como nas modalidades presenciais e à distância, o diploma dos cursos semipresenciais é reconhecido pelo MEC e pelo mercado de trabalho. Fato esse que nos leva ao desafio dessa modalidade: assim como nos cursos à distância, o aluno deve contar com muita disciplina e organização para se apropriar dos conteúdos disponibilizados remotamente.

Saiba quais são os tipos de cursos oferecidos

Agora que você já conhece as três modalidades de ensino superior, é hora de conhecer os tipos de graduação (por grau de formação). Esses tipos de curso categorizam no que o futuro profissional vai trabalhar. 

Essa divisão de graus acadêmicos se dá entre bacharelado, licenciatura e tecnólogo, e, obviamente, contam com qualidades específicas durante a formação do universitário. Siga a leitura para conhecer mais sobre as suas opções!

Bacharelado

O objetivo do curso de bacharel (independentemente da área de estudo escolhida) é uma formação mais ampla, que oferece um conhecimento geral sobre a profissão. Dessa forma, o formando bacharel pode atuar no mercado de trabalho em diversos setores, sendo eles: comercial, industrial e de serviços.

O tempo de curso desse tipo de formação varia de acordo com as especificações do curso escolhido, mas, no geral, dura de 3 a 6 anos. Durante esse período, o aluno acessa conhecimentos generalistas sobre a profissão e conquista uma visão ampla sobre as possibilidades de atuação. 

Além disso, um profissional bacharel pode se especializar em temas diversos e também pode passar pelos processos de pós-graduação, mestrado e doutorado, tendo também a possibilidade de seguir a sua atuação como pesquisador no ramo que preferir.

Licenciatura 

Já a categoria de licenciatura foca em formar educadores e professores do ensino médio e fundamental. Por se tratar de um nicho mais fechado, uma grande diferenciação das outras modalidades é a inclusão de matérias ligadas à pedagogia, à didática e à psicologia do ensino.

Considerando, portanto, que o curso de licenciatura conta com treinamentos específicos para passar o conhecimento adiante e também matérias obrigatórias para a formação do professor, quando comparado com um curso de bacharel (na mesma área profissional) a formação de licenciatura é mais longa.

Outra questão que você deve considerar é a disponibilidade de cursos para a formação nessa categoria. Os cursos disponíveis são os ligados à Pedagogia, Letras e Línguas, Matemática, História, Química, Física e o ensino de Biologia e Ciências Naturais.

Tecnólogo

Agora, se você busca um ensino mais prático e de curta duração, pode ser que a categoria tecnóloga seja perfeita. Isso porque, em geral, a duração dos cursos desse grau é de 2 a 4 anos. O que possibilita que o formando se especialize em um ramo em pouco tempo (em comparação aos 4 a 6 anos do bacharel, por exemplo).

As matérias que compõem os cursos tecnólogos são organizadas para que sejam mais diretas e focadas no assunto. O que é perfeito para os universitários que já têm em mente onde querem atuar.

As principais possibilidades de estudo na categoria tecnóloga são: os cursos de gestão (ambiental, turismo, qualidade, recursos humanos), gastronomia, logística, comércio exterior, comunicação institucional, entre outros.

Veja como escolher a universidade para se candidatar

Há muita coisa para considerar antes de bater o martelo sobre a faculdade que você vai estudar. Por isso, é essencial que, para ter a consciência de que você escolheu corretamente e vai acessar um estudo de qualidade, você pesquise sobre a instituição por partes.

Assim, o processo de conhecer a faculdade será acessível e você conseguirá uma conclusão clara. Mas o que observar? A gente preparou uma lista de fatores essenciais para comprovar a qualidade da instituição. Siga a leitura para conhecer!

Analisar a estrutura que a universidade oferece

Conhecer o lugar que você vai estudar nos próximos anos é essencial, mesmo que a sua escolha seja uma faculdade EAD (afinal, em algum momento do curso, você terá que fazer avaliações presenciais). Por isso, a nossa primeira dica tem a ver com observar a estrutura do campus que está à disposição do aluno.

Imagine, por exemplo, que o curso que você deseja fazer é algo relacionado à computação ou TI. Seria estranho se a faculdade não disponibilizasse um laboratório bem equipado, com computadores e programas licenciados, concorda? Pois bem, por isso, vale a pena observar esses detalhes que fazem toda a diferença na sua formação acadêmica.

É claro que o laboratório de informática é apenas um exemplo, já que cada curso conta com especificações próprias e os alunos com as próprias necessidades. Veja a lista de algumas das estruturas que você deve considerar antes de se matricular na faculdade:

  • acessibilidade (é extremamente importante que o espaço físico da instituição se preocupe com a inclusão e seja equipado com rampas, corrimões e banheiros inclusivos, por exemplo);
  • biblioteca (é claro que a internet não substitui os livros, a biblioteca será muito usada por você durante a formação acadêmica);
  • tecnologias (aqui o assunto é amplo e as necessidades básicas podem variar conforme o curso que você escolher, mas, no geral, vale atentar para os computadores disponibilizados e softwares);
  • laboratórios (focados no curso que você decidir, observe a estrutura e a conservação dos elementos no espaço);
  • salas de aula (aqui, é importante conhecer a situação em que elas se encontram, leve em consideração a estrutura, como as carteiras estudantis, os quadros dos professores e a disponibilidade de climatização no local); 
  • refeitórios e espaços comuns (nesse ponto é importante observar também o espaço, a estrutura e o conforto ofertado pela instituição).

Visitar o campus

Para reconhecer a estrutura da faculdade, você pode recorrer às visitas online, mas nada como o “cara a cara”, concorda? Por isso, vale a pena se deslocar até a faculdade para descobrir todos os detalhes do campus.

Nesse programa, além de observar os pontos citados no tópico anterior, você deve reconhecer outras questões sobre o local. Veja a lista:

  • segurança (note se há uma equipe focada na segurança dos alunos e colaboradores da faculdade e observe os arredores da faculdade, vendo se as ruas são iluminadas);
  • acesso (foi fácil de chegar no campus? Observe se há ponto de ônibus próximo, acesso ao metrô, como são as ruas ao redor, se a região alaga etc.);
  • garagem (se você tem, ou pretende ter, um carro, é importante que veja se há possibilidade de estacionar dentro da faculdade e quais são as condições deste espaço, aqui a segurança é essencial também!).

Para visitar o campus, é importante que você se informe com a equipe coordenadora da instituição. Às vezes é só chegar, mas em muitas ocasiões, o futuro aluno deve marcar horários para fazer a visita, que geralmente é monitorada por alguém da equipe. 

Verificar a nota dada pelo MEC

A faculdade é bem avaliada? Questionar o que as principais instituições reguladoras falam sobre a universidade também é importante. A principal avaliação que você deve observar é a do MEC (o Ministério da Educação). 

Essa nota, que é obtida em conjunto com a avaliação do INEP (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira), observa diversos fatores importantes para a qualidade de ensino ofertada. O processo de pontuação leva em consideração os seguintes tópicos:

  • CPC (Conceito Preliminar de Curso) que prova se o curso é realmente bom;
  • IGC (Índice Geral de Cursos Avaliados da Instituição) que prova a qualidade da faculdade;
  • Enade (Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes) que testa os alunos vinculados à instituição, comprovando se a faculdade ensina o que promete.

A nota final do MEC, portanto, é resultado da média entre os três pontos avaliativos citados acima. Já deu para perceber a importância de consultar essa nota, não é mesmo? Para descobrir a nota do MEC para a sua faculdade pretendida, basta visitar o site do eMEC e fazer uma busca avançada (disponibilizando o nome da instituição). 

Pesquisar sobre o corpo docente

Os professores são essenciais para a formação, por isso, você precisa conhecer cada um que pode interagir com a sua experiência acadêmica. Geralmente, no site da instituição, há uma apresentação do corpo docente responsável por cada curso. A dica é que você acesse a lista e pesquise sobre cada um dos profissionais.

Observe os currículos dos seus possíveis futuros professores, veja quais são as especializações de cada um e suas áreas de atuação. É importante que você leve em conta a experiência do profissional, mas não se esqueça de observar o quão atualizado esse professor é.

É claro que as aulas universitárias vão muito além de currículos e especializações dos professores. Há diversos outros fatores que só a rotina com o profissional pode comprovar, como é o caso da didática e da relação com os alunos. Por isso, caso você consiga, converse com pessoas que já tiveram aulas com os professores da instituição.

Prepare-se para a aprovação

Pronto! Chegamos ao último passo do nosso “mapa” do caminho até a sua universidade ideal. Se a sua leitura chegou até aqui, você já conhece as diferenças entre bacharelado, tecnólogo e licenciatura e já reconhece os desafios de cada modalidade de ensino (EAD, semipresencial e presencial). 

Escolher cada uma dessas opções é uma tarefa árdua, assim como imaginamos ter sido o processo de escolher o curso ideal. Porém, agora é a hora de colocar a mão na massa. Você já sabe tudo o que deseja para a sua vivência acadêmica e precisa conquistar a aprovação na faculdade escolhida.

Nos seguintes tópicos, a gente preparou dicas práticas e muito úteis para o seu momento de estudo e aprovação na faculdade. Siga a leitura para acessar todos esses conselhos ricos!

Entendimento das provas

Se você já está na missão de definir a sua vida acadêmica há algum tempo, já deve saber que é possível ingressar na faculdade pelo vestibular ou Enem. É bom saber que cada uma dessas maneiras de ingresso ao ensino superior tem os seus próprios desafios. 

Para se dar bem nessas provas e conquistar a aprovação, é importante que você reconheça quais são as diferenças entre elas e quais são os desafios que cada uma das provas vai aplicar em você. 

Por exemplo, com o ENEM, além de conquistar a vaga na faculdade, você pode ser aprovado em programas de financiamento estudantil, acessar diversas possibilidades de instituições (privadas e públicas), além de concluir o ensino médio. A prova é bastante longa e desafia os alunos nas interpretações de texto. 

Nas provas de vestibular, o candidato concorrerá à vaga em apenas uma faculdade. A seleção é realmente mais focada (é possível determinar o campus, a modalidade de curso e o curso), porém conta-se com o desafio de que é uma prova para cada tentativa. 

Cronograma de estudos

Sabendo qual será a prova feita, vale a pena organizar os estudos para conquistar uma boa colocação no teste escolhido. A nossa dica é que você observe as provas dos anos anteriores e crie um cronograma de estudo para focar nas matérias que mais aparecem nas listas de perguntas.

Com essa estratégia, é possível que você organize os seus horários de estudo, as matérias a serem estudadas a cada dia da semana, os momentos que serão dedicados aos livros, entre outros, mas lembre-se de que, para se preparar para o Enem ou vestibular, além de criar um cronograma de estudos, é preciso respeitá-lo!

Pontos fracos e pontos fortes

Todos os estudantes têm aquelas matérias que são mais fáceis de compreender e aquelas desafiadoras, você pode ter reparado quais são as suas nos momentos de escola, por exemplo, como nos momentos de preparação para as provas de final de ano.

Se você ainda não sabe quais são os seus pontos fracos e fortes em relação às matérias de estudo, faça o exercício de observar esse detalhe, porque as matérias mais “difíceis” precisam ser reforçadas na sua rotina de estudo.

É claro que você não deve ignorar as categorias que você tem mais facilidade! É imprescindível, portanto, que no seu cronograma de estudos você tenha um tempinho específico para revisar tais matérias.

Treino da redação

Fique sabendo que nem só de realização de provas anteriores e respostas de questionários vive uma preparação eficiente para o vestibular e o Enem! Para ter resultados incríveis na sua performance de teste, você precisa treinar muito a sua redação.

Aproveite para, nesses momentos, escrever sobre as atualidades do mundo (esses temas atuais sempre são cobrados nos testes de aprovação para o curso superior). Na hora de fazer as redações, é importante que você esteja atento aos erros gramaticais, coesão e coerência e, é claro, à estética textual (para os momentos de treino, escreva sempre à mão!).

Estudos com colegas 

Assim como na hora de corrigir a sua redação você deve contar com o apoio de quem sabe mais, nos momentos de estudo e preparação, você pode ter um grupo de estudos. Sempre tem aquele colega que sabe um pouquinho mais daquela matéria que você tem dificuldade, peça para que ele explique para você e, em troca, você pode dar dicas sobre as matérias que você tem mais facilidade.

Além desse tipo de estudo compartilhado para se preparar para o vestibular, você pode fazer parte de grupos no WhatsApp focados no assunto e até seguir perfis nas redes sociais de estudantes que estão no mesmo momento que você. 

Dedicação, disciplina e foco 

Focar na aprovação para a universidade dos sonhos não é uma tarefa fácil, muitas vezes você estará cansado e pensando em desistir, por isso mesmo é preciso ter foco. Observe cada passo de estudo por vez, desbrave cada matéria diariamente e dedique-se ao processo.

O falar “não” também é necessário nesses momentos de estudos, você sabia? Pois é, muitas vezes, você vai receber convites muito mais atrativos para o momento, do que ficar em casa estudando. É durante esses períodos que você deve se lembrar dos seus objetivos e negar as propostas. Acredite: ter foco, dedicação e disciplina vale a pena!

Agora sim: você já sabe como escolher a universidade ideal e ainda mais: conhece as principais e melhores estratégias para a aprovação na instituição escolhida. Lembre-se de, durante o seu período de preparação para a vida acadêmica, observar todo o caminho com um mapa. Concentre-se no que você deseja para conquistar o seu tesouro (ou diploma universitário).

Você curtiu este post? Acha que os seus amigos que desejam fazer uma faculdade também vão gostar? Então, compartilhe este artigo com eles e aproveite a ocasião para marcar o dia do estudo com a galera! 

Call To Action

Detalhe do Call To Action para Download do Material

Deixe uma resposta

Copy link
Powered by Social Snap

Seu futuro começa aqui

Cadastre-se já e não perca nenhuma dica!