Inicio / ENEM & Vestibular ENEM & Vestibular 10 de julho de 2020

Como estudar para o ENEM? Confira um conteúdo completo!

Redação Estudo em Dia
Redação Estudo em Dia

Equipe apaixonada por educação, produzindo conteúdos focados em alunos que buscam uma melhor rotina de estudos e preparação para o vestibular!Publicado em . | Atualizado em 17 de novembro de 2020.


Muitos alunos ao iniciarem o ensino médio já sentem a necessidade de organizarem melhor os seus estudos para que, no futuro, se sintam realmente preparados para passar pelo ENEM.

No entanto, para essa organização, é necessário ter atenção a alguns aspectos: conhecer cada área do ENEM, analisar quais são os tópicos mais cobrados em cada seção, identificar quais são os seus potenciais e em quais disciplinas é preciso mais dedicação. Por isso, descobrir como estudar para o ENEM é uma tarefa que exige preparação.

É a partir desse exercício de reconhecimento que você encontrará qual a maneira mais eficaz de estudo para o seu perfil, afinal, todos temos as nossas diferenças e semelhanças. Por essa razão, é importante prezar pela sua individualidade e encontrar qual a melhor rotina que intensificará a sua aprendizagem.

Então, ficou interessado em nossa proposta? Quer chegar a um estudo verdadeiramente eficaz para a sua preparação? Então, veja o nosso conteúdo, conheça detalhadamente a prova e descubra como estudar para o ENEM!

Conheça as cinco áreas mais cobradas no ENEM

Atualmente, o ENEM — segunda maior prova do mundo — conta com mais de 8 milhões de participantes. Além de ser usado para selecionar alunos para Instituições Federais, a avaliação também é utilizada para a obtenção de bolsas de estudo — ProUni —, financiamentos — FIES —, e para a aquisição de vagas em algumas Universidades na Europa, especialmente em Portugal.

Diante dessa dimensão, o ENEM é uma das provas mais importantes no momento em que o candidato deseja decidir o seu futuro. Pensando nisso, se você quer realmente se dar bem nessa seletiva, o primeiro passo é conhecer a estrutura da prova, ou seja, entender as cinco áreas cobradas no ENEM. Veja só!

Ciências da natureza e suas tecnologias

A prova de ciências da natureza abrange os conteúdos de Física, Química e Biologia. Para melhor orientação dos alunos diante desses conteúdos, o ENEM tem uma matriz de referência elaborada pelo MEC. Por meio dessa matriz, temos o direcionamento necessário para compreender o que cada área espera de seus candidatos. 

Cada área tem a sua competência e, dentro de cada uma delas, as habilidades exigidas. Conheça agora as competências que se espera de cada candidato.

A primeira competência de “Ciências da Natureza” é: “1. Compreender as ciências naturais e as tecnologias a elas associadas como construções humanas, percebendo seus papéis nos processos de produção e no desenvolvimento econômico e social da humanidade”.

Dentro dessa primeira competência, o aluno precisa compreender e reconhecer fenômenos ondulatórios e oscilatórios, identificar soluções de problemas de comunicação e saúde, baseando-se nos conteúdos científicos e tecnológicos. 

Além disso, é preciso reconhecer diferenças entre o que diz o senso comum e o que traz a ciência e a tecnologia sobre determinados fenômenos, seja no âmbito cultural, seja no social. Outro aspecto muito importante são as propostas de intervenções viáveis para a melhoria do meio ambiente, visando sustentabilidade e o bem da biodiversidade.

A segunda competência que se requer do candidato é: “2. Identificar a presença e aplicar as tecnologias associadas às ciências naturais em diferentes contextos”.

Nesse contexto, o aluno deve compreender conteúdos sobre circuitos e dispositivos elétricos do cotidiano e sua aplicabilidade em determinadas situações, baseando-se em três importantes aspectos: “a defesa do consumidor, a saúde do trabalhador ou a qualidade de vida”. 

A terceira competência pede: “3. Associar intervenções que resultam em degradação ou conservação ambiental a processos produtivos e sociais e a instrumentos ou ações científico-tecnológicos”.

A terceira competência está relacionada com habilidades que envolvam processos sustentáveis como reciclagem, utilização de recursos naturais para geração de energia, considerando os processos físicos, químicos e biológicos neles estabelecidos. 

Além disso, é preciso compreender alguns processos poluentes e as reações biológicas que causam a degradação do meio ambiente, identificando a fonte e o destino dos poluentes e, por fim, avaliando quais são os impactos positivos e negativos dessas intervenções nos ambientes naturais.

A quarta competência demonstra a seguinte necessidade: “4. Compreender interações entre organismos e ambiente, em particular aquelas relacionadas à saúde humana, relacionando conhecimentos científicos, aspectos culturais e características individuais”.

Assim, o aluno deverá compreender quais são os mecanismos de transmissão da vida, identificar fenômenos vitais para a sobrevivência e manifestação do ser humano, principalmente aqueles que geram equilíbrio e promovem a defesa. Esse conteúdo sempre deve ser relacionado com o meio ambiente, com a sexualidade, e com processos biológicos, físicos e químicos.

A quinta competência demanda: “5. Entender métodos e procedimentos próprios das ciências naturais e aplicá-los em diferentes contextos”.

Algo que nunca podemos nos esquecer e o que está sempre presente na prova do ENEM é a aplicabilidade do conteúdo à realidade de uso, ou seja, a maioria das questões, senão todas, estão relacionadas com um contexto situacional do ser humano.

É justamente tal capacidade que essa competência trabalha: a relação das diferentes disciplinas em seu contexto de ordem social, econômico e ambiental.

A sexta competência assinala: “6. Apropriar-se de conhecimentos da física para, em situações problema, interpretar, avaliar ou planejar intervenções científico tecnológicas”.

A interpretação de gráficos está presente em várias competências, principalmente na área de ciências da natureza e suas tecnologias. A maioria das questões pede que o aluno faça inferências dentro do contexto apresentado e, dessa forma, encontre os recursos necessários para avaliar as opções de múltipla escolha.

E, por último, a competência 7: “7. Compreender o caráter aleatório e não-determinístico dos fenômenos naturais e sociais e utilizar instrumentos adequados para medidas, determinação de amostras e cálculos de probabilidade para interpretar informações de variáveis apresentadas em uma distribuição estatística”.

Nessa última competência, é importante que o candidato saiba relacionar os seus conhecimentos com os dados estatísticos apresentados para tirar as suas conclusões e interpretar as informações oferecidas. Além disso, o aluno precisa resolver problemas, a partir de uma situação baseada em conhecimentos de estatística e probabilidade.

Linguagens, códigos e suas tecnologias

A área de linguagens, códigos e suas tecnologias abrange os conteúdos de Língua Portuguesa, Literatura, Língua Estrangeira, Artes, Educação Física, Tecnologias da Educação e da Informação. Então, por englobar tantos conteúdos, é necessária uma atenção específica nessa área, com foco na interpretação textual. 

Além disso, é necessário conhecer e utilizar a língua, estrangeira e/ou materna, como instrumento de acesso a outras culturas e grupos sociais. Por exemplo, determinados idiomas falam muito sobre a própria cultura. Aqui no Brasil temos os regionalismos, isto é, cada região tem o seu sotaque, com diferentes expressões que contam muito sobre a sua história e sobre o seu povo.

Na avaliação, é necessário que o candidato perceba a língua como um recurso expressivo. Assim, ele relacionará o texto com seu contexto, demonstrando o olhar amplo que tem sobre as manifestações textuais e as suas condições de produção e recepção.

Outro ponto importante é o uso da linguagem corporal e da performance como estratégia de integração social e formadora de identidade, expressão e comunicação. Com tudo isso, o candidato precisa ampliar a sua capacidade de confrontar opiniões e diferentes pontos de vista sobre um mesmo assunto. 

Portanto, se você quer se dar bem nessa área, é preciso compreender que conhecer a gramática é fundamental. No entanto, é preciso:

  • conhecer as suas formas de uso e de aplicabilidade;
  • perceber a língua portuguesa com as suas variedades linguísticas;
  • compreender que um texto passa por um caminho de produção e expressão que tem um tempo e um contexto de produção;
  • entender sobre os diferentes gêneros e tipologias textuais para ampliar a capacidade de interpretação.

Nessa área, a Literatura é muito contextualizada, por vezes, as questões trazem conteúdos que comparam produções de diferentes épocas. Por isso, é muito importante ter na ponta da língua os movimentos literários que vão desde o trovadorismo até a contemporaneidade. O modernismo e a literatura da década de 1930 são os movimentos discutidos com mais frequência nas provas. 

Além disso, não deixe de estudar e ler autores como: Machado de Assis, Cecília Meireles, Carlos Drummond de Andrade Aluísio Azevedo, Guimarães Rosa, Graciliano Ramos, Rachel de Queiroz, Clarice Lispector, José de Alencar, Luís Fernando Veríssimo, Ariano Suassuna e Manoel de Barros.

No conteúdo de Artes, é muito importante reconhecer diferentes formas de manifestações artísticas em seu contexto histórico, social e cultural, além de conhecer detalhadamente as vanguardas europeias, como dadaísmo, expressionismo, cubismo, entre outras. Além do mais, as obras renascentistas também merecem certa atenção. 

Além disso, é relevante estudar manifestações artísticas atuais como grafite, por exemplo, os produzidos por Apolo Torres, ou pinturas abstratas, como o artista Jean-Michel Basquiat. Outro ponto importante é saber observar a interdiscursividade presente nas obras artísticas.

Matemática e suas tecnologias

Na área de exatas, é fundamental ter sistematizado os conceitos e aplicações que envolvem conhecimentos numéricos, como os números naturais, inteiros, racionais e reais. Conhecer também as operações básicas, proporções, porcentagens, juros, fatoração, entre outros.

É relevante ter em mente os conhecimentos geométricos, as figuras planas e espaciais, as grandezas, unidades de medida e cálculos que envolvem áreas, volumes, ângulos, simetrias, congruências, teorema de Tales, triângulos, circunferências e trigonometria do ângulo agudo.

Além disso, deve-se dar atenção aos conteúdos que abrangem estatística, probabilidade e, principalmente, os conhecimentos algébricos que são, na maioria das vezes, atrelados à interpretação, funções algébricas de 1° e 2° grau, polinomial, equações e inequações, relações no ciclo trigonométrico e funções trigonométricas. 

Os conhecimentos geométricos também são altamente requeridos como plano cartesiano, retas, circunferências, paralelismo e perpendicularidade. Sobre as competências pedidas nessa área, é significante registrar que a maioria busca relacionar o conteúdo representando diversas situações da realidade e trazendo opções de como agir sobre ela.

As habilidades dessa competência, em sua grande maioria, buscam observar se o candidato é capaz de relacionar o conteúdo matemático à realidade econômica e social. Além disso, é sempre importante lembrar que assim como ocorre no conteúdo gramatical, a Matemática virá acompanhada de uma situação do cotidiano que representa a nossa realidade, por isso, reforce a sua interpretação textual.

Ciências humanas e suas tecnologias

Em Ciências humanas e suas tecnologias, é essencial registrar que as disciplinas como Geografia, História, Sociologia e Filosofia constituirão as questões. Por isso, diversos temas históricos que abordam diversidade cultural, conflitos e vida em sociedade serão considerados. 

Sendo assim, procure ler jornais, revistas, acompanhar vídeos de profissionais e/ou influenciadores digitais que trazem análises importantes sobre problemáticas sociais atuais. Além disso, organizações sociais, movimentos sociais e políticos do Estado são considerações abordadas nas provas. 

É importante traçar uma linha temporal que vai desde a cidadania e democracia na antiguidade até a atualidade. Ao lado dessas análises, é preciso consolidar o conteúdo sobre a formação territorial brasileira, as lutas de independência política na América, as grandes revoluções do século XX como Bolchevique, a Revolução Chinesa e a Revolução Cubana. 

Outros movimentos internos que ocorreram no Brasil como a Inconfidência Mineira, Conjuração Baiana, Revolta da Chibata e a Revolução Federalista devem ser enfatizados durante a sua rotina de estudos.

Importante também é estudar sobre o colonialismo, imperialismo, as duas Guerras Mundiais, a Guerra Fria e os movimentos totalitários: nazismo, fascismo, franquismo, salazarismo e stalinismo. As ditaduras que ocorreram na América Latina devem ser estudadas, assim como as lutas pelos direitos dos cidadãos.

Os sistemas econômicos de produção também devem ser analisados, como a escravidão, o feudalismo, o capitalismo, o socialismo e suas diferentes representações ao redor do mundo. As revoluções industriais devem estar na ponta da língua, assim como a revolução técnica, informacional e científica da atualidade.

Além disso, a relação do homem com o meio ambiente, a apropriação dos recursos naturais, o desenvolvimento dos recursos energéticos, o cuidado e investimento nos recursos hídricos e das bacias hidrográficas devem ser estudados, assim como os agentes poluentes e suas consequências na sociedade.

Para completar, projeções cartográficas, leitura de mapas físicos e políticos devem ser treinados por meio de interpretação. 

As competências dessa área focam na relação:

  1. cultura e identidade;
  2. transformações no espaço geográfico baseando-se nas relações socioeconômicas, culturais e de poder;
  3. importância das instituições sociais, políticas e econômicas para a vida social;
  4. cidadania e democracia para a atuação consciente do indivíduo em sociedade;
  5. relação sociedade e natureza, considerando os diferentes contextos históricos e geográficos.

Redação

A redação é um dos maiores desafios dos estudantes. Isso porque eles terão que desenvolver uma argumentação sobre algum tema, defender um ponto de vista, e entrelaçar o seu discurso demonstrando que o texto produzido tem uma finalidade. 

Para entender melhor como é uma avaliação do ENEM de uma redação, conheça as suas competências de forma detalhada: 

Domínio da escrita formal da língua portuguesa

Nessa competência, o aluno deverá mostrar que tem domínio da Língua Portuguesa e de suas regras durante o registro. Por isso, dependendo do número de desvios gramaticais, o candidato poderá perder uma quantidade relevante de pontos. 

Portanto, pratique. Estude regência verbal e nominal, concordância verbal e nominal, paralelismo sintático, pronomes, pontuação e o uso da crase.

Compreender o tema da redação e a organização do texto dissertativo argumentativo

Na competência 2, geralmente, por descuido, muitos alunos perdem nota. Isso porque, com frequência, muitos saem da proposta da redação ou não a desenvolvem completamente em seu texto. 

Por exemplo, houve um ano em que a proposta foi “Caminhos para se combater a intolerância religiosa no Brasil”. Se o aluno escrevesse uma redação falando apenas sobre intolerância religiosa e não discutisse os “caminhos para combatê-la”, provavelmente ele teria um desfalque na pontuação.

Além disso, nessa competência, será avaliada a organização textual da dissertação, por isso, sempre tenha em mente como pretende fazer a introdução, o desenvolvimento e a conclusão, assim seu texto ficará “costurado” e completo.

Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista

A terceira competência visa verificar o conhecimento sociocultural do candidato e perceber se ele soube fazer o uso produtivo dentro do contexto da redação que justifique a posição assumida a partir da temática proposta. 

Então, para tirar de letra essa competência, leia, escreva sobre o que leu, assista a filmes, pratique escrever resenhas sobre eles, acompanhe o noticiário e se mantenha informado.

Você poderá usar como repertório sociocultural filmes, séries, livros, jornais, dados, informações históricas, geográficas, científicas. Lembrando que é preciso ir além do conteúdo dos textos motivadores.

Conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação

Lembra de quando você estudava conectivos, preposição, locução adverbial em Língua Portuguesa? Pois então, eles são extremamente importantes para a construção textual, pois são responsáveis por costurar frases e parágrafos e, assim, fazer com que o texto tenha coesão e coerência. 

Portanto, não se esqueça de trabalhar muito bem a interrelação em seu texto, articulando bem as ideias e relacionando-as por meio dos conectivos adequados.

Elaborar proposta de solução para o problema abordado, mostrando respeito aos valores humanos e considerando a diversidade sociocultural

A quinta e última competência visa verificar a capacidade de propor soluções, respeitando os direitos humanos para a tese defendida no decorrer da redação. Ao propor uma intervenção o aluno demonstrará o seu preparo para o exercício da cidadania. 

É muito importante que a proposta esteja completa e apresente os principais caminhos necessários para colocá-la em execução.

Como estudar para o ENEM

Veja a seguir quais estratégias te ajudarão a ter um estudo mais eficiente para o ENEM.

Faça provas anteriores

Com certeza essa é uma das estratégias mais adotadas, não só para os estudos para o ENEM, como também para qualquer outro processo seletivo. Ao estudar as provas anteriores, você conseguirá se adaptar à interpretação de texto daquele conteúdo, além de aprender a lidar com o estilo da prova. 

Outro ponto relevante é que a cada questão você compreenderá e fixará o conteúdo, podendo ter por base quais são as disciplinas e conteúdos que exigirão maior dedicação de sua parte.

Faça um cronograma de estudos

O cronograma é uma forma de ter um certo controle sobre o que você estuda e poder se planejar de acordo com os seus objetivos. Por exemplo, você pode se dedicar durante duas semanas para o conteúdo de período simples em Língua Portuguesa e depois separar mais duas semanas para o estudo do período composto.

Dentro dessas duas semanas, determine quanto tempo de estudo para cada etapa do conteúdo e quais serão exatamente as matérias a serem estudadas. No primeiro dia, você pode estudar sujeito e predicado, no segundo dia, os objetos, no terceiro, os complementos nominais, e por aí segue.

Faça o mesmo com todas as disciplinas. Desmembre o conteúdo para não pular etapas de aprendizagem.

Conhecer bem o edital

Muitas pessoas têm preguiça de ler o edital, isso não acontece apenas no ENEM, mas em vários processos seletivos. Por não conhecerem o edital, muitos alunos cometem enganos que evitariam muitos problemas, como levar uma caneta com tubo colorido para a prova, o que é algo proibido.

Sendo assim, leia o edital de ponta a ponta. Conheça o ENEM, regras e objetivos. Assim, você se sentirá muito mais seguro para realizar a prova.

Faça resumos

Os resumos são muito eficientes para fixar o conteúdo e fazer revisões e, além disso, fazê-los é uma estratégia de treinamento para a competência número três da redação. Portanto, faça resumos da matéria estudada, de obras literárias, de noticiário, de biografias.

Para se organizar, você pode colocar como meta uma quantidade ideal de resumos por semana. Assim, você não deixará de seguir o seu cronograma, saberá ao certo quantos textos escrever e trabalhará a escrita.

Estude interpretação de texto

Você deve ter notado como a interpretação de texto está em todas as áreas do ENEM, certo? Isso acontece, pois todas as questões da prova são contextualizadas. Sendo assim, além de conhecer o conteúdo, você deve saber relacioná-lo a uma situação.

Por isso, busque resolver múltiplas questões de interpretação de texto. Nesse caso, só a prática fará com que você melhore cada vez mais essa capacidade.

Resolva simulados

Os simulados, geralmente, são organizados por instituições de ensino especializadas. Você pode procurar por alguns disponíveis na internet também. Com os simulados, você poderá ter um panorama de como se sairá na prova do ENEM. O importante é fazê-los, no mínimo, uma vez por mês, assim, caso encontre algum problema, terá tempo para resolver.

Controle o tempo

O ENEM é uma prova que conta com 180 questões: são 90 mais a redação no primeiro dia, e 90 questões no segundo dia. O tempo é extremamente precioso, já que no primeiro dia você terá 5 horas e meia, e no segundo, 5 horas para resolver todas as questões. Portanto, terá em média três minutos para responder cada questão. 

Por isso, treine responder aos questionários contando o tempo para cada questão. Se você precisar de um pouco mais de tempo para realizar as leituras, vá gradualmente diminuindo os segundos e, depois, os minutos. 

Conte com o apoio de profissionais capacitados

Ao procurar profissionais capacitados, você terá a oportunidade de ampliar os seus conhecimentos e treinar estratégias fundamentais para desenvolver bem a sua prova.

As pessoas especializadas poderão ser um norte para as suas principais dúvidas, para a organização dos seus estudos, e serão o auxílio necessário para que não haja incertezas referentes à matéria. Além disso, com os profissionais certos, você terá acesso a simulados, questões, treinamentos e informações importantes sobre a prova.

Curiosidades sobre o ENEM

O ENEM é uma prova que existe no Brasil desde 1998. Conheça algumas curiosidades sobre esse processo seletivo!

Quando o ENEM se popularizou

A primeira edição do ENEM teve apenas 157 mil inscrições, ou seja, um número bem inferior ao de 2019, que foi de 5,1 milhões. Além disso, em 1998, o ENEM tinha como objetivo avaliar a qualidade do ensino médio brasileiro e a prova tinha apenas 68 questões. Apenas em 2009, ele foi reformulado, ganhou um número maior de questões e elevou a sua complexidade.

Método de correção do TRI

TRI significa Teoria de Resposta ao Item, você já ouviu falar? Muitos candidatos não conhecem o método de correção do ENEM. Geralmente, quando fazemos uma prova, se de 10 questões acertamos 6, por exemplo, a nota seria 6, correto? Isso não acontece no ENEM.

Nesse exame, a pontuação é calculada a partir do seu nível de dificuldade. Então, questões mais fáceis terão uma pontuação menor e as mais difíceis uma pontuação maior.

Interdisciplinaridade nas questões

O ENEM tem como base para construir a maioria de suas questões a interdisciplinaridade, ou seja, um mesmo exercício pode abranger mais de uma área de conhecimento. Essas questões ganharam mais relevância a partir de 2009, uma de suas principais características é o maior nível de complexidade, os enunciados maiores e mais densos.

Uso do nome social no ENEM

O uso do nome social no ENEM passou a ser permitido a partir de 2014. Para fazer uso desse direito, o candidato deve preencher uma solicitação, digitalizar alguns documentos e enviar em formato de PDF, PNG ou JPG, no tamanho de 2MB no máximo. Caso o formato seja diferente ou a solicitação seja feita por e-mail, o pedido será indeferido.

E então? Viu como ao obter algumas informações importantes é possível se preparar bem melhor para o ENEM? Seguir nossas dicas sobre como estudar para o ENEM é o primeiro passo para obter sucesso na prova e conquistar a vaga tão almejada.

Tem alguma experiência sobre o ENEM que gostaria de partilhar? Então deixe um comentário no post e compartilhe a sua opinião conosco e os demais leitores!

Call To Action

Detalhe do Call To Action para Download do Material

Deixe uma resposta

Copy link
Powered by Social Snap

Seu futuro começa aqui

Cadastre-se já e não perca nenhuma dica!